Reproduzir os desenhos na forma de lenços é uma maneira de deixa-los circularem com liberdade, convidando-os a dançarem ao vento, respeitando e afirmando sua natureza essencial, de movimento. Assim, os torno “obras de arte circulantes”, que ganham vida à medida de sua interação com o mundo, quando experimentados e explorados  por quem os veste e circula com eles. Como gravuras, os lenços são testemunhos da força viva que gerou cada imagem-matriz, o desenho original, já que eles a carregam. Todas as imagens têm tiragem limitada de 34 peças, sendo elas numeradas e assinadas.

. obras circulantes | lenços | coleção .

 
foto: guga ferri